Se você também está procurando meios para divulgar sua obra ou receber apoio, minha primeira dica é utilizar a mídia a seu favor. Existem portais e jornais que não vão se importar que, no momento, você não tenha nada pronto - eles vão querer divulgar a sua história e inspirar as outras pessoas com a sua força de vontade.

Abaixo está a cópia na integra de uma reportagem da Gazeta do Paraná/CGN que foi feita em 2014:
Ela tem apenas 16 anos, está no auge da adolescência e, apesar de amante dos livros, não deixa de aproveitar a vida e se divertir como as outras jovens da sua idade.
A diferença é que nesta idade Letícia Gabriela Ornelas, ou Letícia Lançanova, como ela assina, já tem uma participação importante na antologia Quimera – Contos Fantásticos e agora se esforça para publicar seu novo trabalho, o livro Linhagem Vermelha.
Ela conta que sempre gostou de literatura e afirma que o interesse pela escrita também começou bastante cedo, ainda na fase da alfabetização.

“Eu sempre andava com meus fichários ou com algum caderno, escrevendo pequenas histórias”, relata.
A mãe de Letícia, Rosangela Gomes Ornelas, garante que o talento da filha é fruto do esforço dela própria e que a família e a escola apenas deram o incentivo que ela precisava.
“Ela sempre foi bastante interessada nas coisas e quando viajávamos queria saber de cada detalhe do lugar em que estávamos. E é ela que corre atrás dos objetivos dela, a gente ajuda e apoia, mas é ela que se esforça para fazer as coisas acontecerem”.

Mas foi a partir dos 13 anos que a menina começou a se transformar em uma escritora. Hoje ela estuda pela manhã e à tarde se dedica ao trabalho que mantém no blog literário Palácio dos Livros, escrevendo resenhas das obras que lê, e ainda escreve as suas próprias histórias.
Quem olha para a garota de olhos miúdos e sorriso fácil nem se dá conta dos lugares e épocas que a imaginação desta garota pode levá-la. Linhagem Vermelha, o livro que interessou importantes editoras, não tem nenhuma relação com o universo adolescente. A história se passa na Europa, no ano de 1775, e conta a história de uma viagem de trem feita por uma condessa, viagem esta cheia de mistérios e assassinatos.
Para garantir a qualidade da obra, simplesmente soltar a imaginação não foi o suficiente. Letícia revela que foi preciso muita pesquisa e dedicação.
“Eu estudei até sobre os trens daquela época, porque houve momentos em que foi preciso descrever alguns mecanismos dos trens e até o trabalho dos maquinistas no decorrer da história”.
A jovem autora também explica que em relação à linguagem de época, preferiu deixar mais evidente na fala dos personagens e menos na narração, para deixar a leitura mais leve e atraente para diversos públicos.
Pela publicação do livro Linhagem Vermelha ela já recebeu diversas propostas, mas surge aí um pequeno empecilho, e Letícia explica o que é: 

“Por ser muito difícil lançar novos autores, mesmo a obra sendo muito boa, as editoras acabam cobrando por alguns serviços básicos”.
Gastos como a revisão, diagramação e código de barras devem ser custeados pelo próprio autor. A proposta que mais interessou Letícia foi a da Editora Chiado, uma editora do Brasil e de Portugal.

“Eles se comprometeram em publicar meu livro e distribuí-lo pelo Brasil e pela Europa e ainda publicá-lo em inglês e espanhol conforme for a aceitação da obra”, conta.

Para isso, porém, ela terá um custo de R$ 4 mil e procura patrocínio para poder publicar o livro. O contato para quem se interessou em ajudar Letícia Lançanova em seu intento pode ser feito diretamente pelo email da jovem: leticia.lançanova@hotmail.com Para conhecer um pouco mais do seu trabalho é só acessar o blog Palácio dos Livros, pelo endereço http://palaciodelivros.blogspot.com.br.

FONTE


Deixe um comentário