Se você também está procurando meios para divulgar sua obra ou receber apoio, minha primeira dica é utilizar a mídia a seu favor. Existem portais e jornais que não vão se importar que, no momento, você não tenha nada pronto - eles vão querer divulgar a sua história e inspirar as outras pessoas com a sua força de vontade.

Abaixo está a cópia na integra de uma reportagem da Gazeta do Paraná/CGN que foi feita em 2014:
Ela tem apenas 16 anos, está no auge da adolescência e, apesar de amante dos livros, não deixa de aproveitar a vida e se divertir como as outras jovens da sua idade.
A diferença é que nesta idade Letícia Gabriela Ornelas, ou Letícia Lançanova, como ela assina, já tem uma participação importante na antologia Quimera – Contos Fantásticos e agora se esforça para publicar seu novo trabalho, o livro Linhagem Vermelha.
Ela conta que sempre gostou de literatura e afirma que o interesse pela escrita também começou bastante cedo, ainda na fase da alfabetização.

“Eu sempre andava com meus fichários ou com algum caderno, escrevendo pequenas histórias”, relata.
A mãe de Letícia, Rosangela Gomes Ornelas, garante que o talento da filha é fruto do esforço dela própria e que a família e a escola apenas deram o incentivo que ela precisava.
“Ela sempre foi bastante interessada nas coisas e quando viajávamos queria saber de cada detalhe do lugar em que estávamos. E é ela que corre atrás dos objetivos dela, a gente ajuda e apoia, mas é ela que se esforça para fazer as coisas acontecerem”.

Mas foi a partir dos 13 anos que a menina começou a se transformar em uma escritora. Hoje ela estuda pela manhã e à tarde se dedica ao trabalho que mantém no blog literário Palácio dos Livros, escrevendo resenhas das obras que lê, e ainda escreve as suas próprias histórias.
Quem olha para a garota de olhos miúdos e sorriso fácil nem se dá conta dos lugares e épocas que a imaginação desta garota pode levá-la. Linhagem Vermelha, o livro que interessou importantes editoras, não tem nenhuma relação com o universo adolescente. A história se passa na Europa, no ano de 1775, e conta a história de uma viagem de trem feita por uma condessa, viagem esta cheia de mistérios e assassinatos.
Para garantir a qualidade da obra, simplesmente soltar a imaginação não foi o suficiente. Letícia revela que foi preciso muita pesquisa e dedicação.
“Eu estudei até sobre os trens daquela época, porque houve momentos em que foi preciso descrever alguns mecanismos dos trens e até o trabalho dos maquinistas no decorrer da história”.
A jovem autora também explica que em relação à linguagem de época, preferiu deixar mais evidente na fala dos personagens e menos na narração, para deixar a leitura mais leve e atraente para diversos públicos.
Pela publicação do livro Linhagem Vermelha ela já recebeu diversas propostas, mas surge aí um pequeno empecilho, e Letícia explica o que é: 

“Por ser muito difícil lançar novos autores, mesmo a obra sendo muito boa, as editoras acabam cobrando por alguns serviços básicos”.
Gastos como a revisão, diagramação e código de barras devem ser custeados pelo próprio autor. A proposta que mais interessou Letícia foi a da Editora Chiado, uma editora do Brasil e de Portugal.

“Eles se comprometeram em publicar meu livro e distribuí-lo pelo Brasil e pela Europa e ainda publicá-lo em inglês e espanhol conforme for a aceitação da obra”, conta.

Para isso, porém, ela terá um custo de R$ 4 mil e procura patrocínio para poder publicar o livro. O contato para quem se interessou em ajudar Letícia Lançanova em seu intento pode ser feito diretamente pelo email da jovem: leticia.lançanova@hotmail.com Para conhecer um pouco mais do seu trabalho é só acessar o blog Palácio dos Livros, pelo endereço http://palaciodelivros.blogspot.com.br.

FONTE


Minha primeira publicação oficial foi em uma antologia, "Quimera, Contos Fantásticos", organizada por Alex Mir e publicada pela Editora Andross em 2013. Abaixo segue a capa lindíssima feita pela Marina Àvila e a sinopse. 
Sinopse: Este livro reúne as mais diversas criaturas do mundo extraordinário, em tramas escritas por narradores envoltos pela magia do contar. Por vezes, você será transportado para cenários insólitos. Em outros momentos, serão as criaturas do extraordinário que invadirão seu mundo. Nas páginas de “Quimera”, você encontrará acontecimentos estranhos ao entendimento natural humano, que vão do absurdo kafkiano ao horror gótico. Também encontrará tramas de ficção científica que o levarão a lugares jamais explorados. Aventure-se pelas histórias fantásticas de “Quimera”. Ao final da leitura, perceberá que a criatura mais insossa do universo é o próprio homem. Ou não.


Apresento-lhes Linhagem Vermelha! O nome foi sugerido por Gabrieli Prates e a capa feita por Marina Avila.  O livro ainda não foi publicado pois passa por inúmeras alterações no momento, com intuito de aprimorar alguns capítulos e ter a chance de agradar mais quem quiser mergulhar nessa trama. Confira:
Sinopse: Um percurso comum. Uma viagem sangrenta.
Elizabeth Bathory, a herdeira por direito de uma poderosa e nobre família romena, decide voltar para a sua cidade natal após uma tragédia ter manchado com sangue sua linhagem. Seu pai assassinou sua mãe pela valiosa joia vermelha dos Bathory, matando-se em seguida, e deixando, de acordo com sua tradição, o título de Condessa e suas posses para a filha. Ela embarcará em tal jornada no trem de sua família, que é administrado por Louis – seu rancoroso irmão, que, por ser o mais velho, acredita possuir direito nato sobre a herança.
Quando cadáveres surgem todas as noites repentinamente, o medo assombra cada passageiro dessa viagem sem volta. Um assassino estava a entre eles, dizimando a população do trem aos poucos. Para sobreviver, Elizabeth terá que enfrentar seus demônios e fugir tanto da ameaça assassina, quanto da constante perseguição de seu irmão; e, ao mesmo tempo, evitar seus crescentes sentimentos por Henry, um inglês que faria tudo por ela. Embarque nessa misteriosa trama, onde o ódio anda de mãos dadas com o amor – e onde a morte não perdoa ninguém.

O desafio consiste em arrumar em tempo hábil essa obra para publicá-la até o final desse ano de 2017. Reescrevi até o 19º capítulo! Mas tem muito trabalho pela frente...